Em setembro é comemorado o dia do Rádio e do radialista.
13/09/2021 21:49 em Novidades

A Rádio Conhecer procura manter viva a chama do Rádio, apresentando diariamente  o programa "A Era do Rádio", conduzido pelo radialista Cyro César. Os programas são apresentados em séries e divididas em episódios. Já contamos a história do Repórter Esso, das rádio novelas, dos cantores e cantoras do rádio. Acompanhe os episódios dentro da programação e você vai descobrir que dentro da história do Rádio, você vai encontrar um pouco da sua também. 

Este ano de 2021 a história da radiofonia brasileira completa 99 anos. Foi no dia 7 de setembro de 1922, que em uma estação de rádio instalada no alto do Corcovado, no Rio de Janeiro, ocorreu a primeira transmissão radiofônica do país. Em comemoração ao centenário da independência do Brasil, os poucos receptores da época puderam ouvir o discurso do então presidente Epitácio Pessoa.


Apesar da primeira transmissão, o rádio no país ainda era incipiente e as transmissões amadoras. Apenas em 1923, que Roquete Pinto, considerado o pai da radiodifusão brasileira, fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.

Os primeiros programas de rádio eram realizados por amigos e sem muita pretensão. Foi Roquete Pinto que criou o primeiro rádio jornal do Brasil. O chamado Jornal da Manhã consistia na leitura de notícias de jornais impressos do dia.

Ainda em 1923 foi inaugurada a Rádio Educadora Paulista, primeira emissora do Estado de São Paulo, inicialmente comandada por Frederico Vergueiro Steidel. A rádio foi instalada no antigo Palácio das Indústrias, que futuramente viria a ser sede da Assembleia Legislativa de São Paulo.

Com a posse de Getúlio Vargas, em 1930, o rádio tomaria o lugar de destaque no Brasil. O então presidente autorizaria as emissoras a veicularem propaganda paga, tendo como contrapartida a transmissão do Programa Nacional em todas as emissoras brasileiras.

O rádio se tornou o primeiro meio de comunicação de massas e teve sua época de ouro com as radionovelas, as grandes performances de intérpretes da MPB e a cobertura jornalística da Segunda Guerra, feitas pelo Repórter Esso.

 

Fonte: ALESP

COMENTÁRIOS